Textos inspirativos

Em memória do Brother Premamoy (1910 – 1990)

Revista da Self Realization Fellowship - Inverno de 1990

Brother Premamoy, um amado monge e ministro da SRF, faleceu no dia 5 de outubro de 1990. Discípulo de Paramahansa Yogananda por mais de 36 anos, ele foi responsável pela orientação espiritual dos aspirantes a monge da Ordem da SRF desde 1965 até sua morte.

A vida do Brother Premamoy é uma das mais incomuns deste século. Ele nasceu em uma família nobre da Áustria em 6 de março de 1910, num antigo castelo fora da cidade de Ljubljana (no Império Austro-Húngaro; desde a Segunda Guerra Mundial, uma parte da Iugoslávia).

Mesmo na infância ele não se encaixava nos moldes comuns a todos:  recusava-se a comer carne e aprendeu a ler sozinho muito cedo – sem professor; e quando tinha 3 anos de idade ele assustava sua mãe dizendo  que já tinha vivido antes e que ela não era sua única mãe. (Anos mais tarde, vendo que ele continuava persistente nesta convicção, sua mãe o levou a um louvável psiquiatra de Viena. Depois de uma hora de consulta o doutor disse à mãe ansiosa: “A senhora pode se surpreender, mas eu acredito nele”.)

Ele se tornou um escoteiro águia e um estudante de notas A; mas aos 14 anos pediu para sair da aula de religião na escola católica em que estudava. O diretor da escola, preocupado com isso, disse a ele: “Bem, você tem que ter alguma religião. Qual vai ser?” Brother Premamoy  lembrou mais tarde que até ele mesmo ficou mais surpreso do que o diretor quando disse: “Eu vou ser hinduísta”.

Logo em seguida ele começou a estudar o Bhagavad Gita – porque queria saber o que significava ser um hinduísta.

Brother Premamoy foi criado em meio a duas famílias nobres do Império Austríaco: a primeira, do príncipe e princesa Windischgratz de Viena; e mais tarde pelo príncipe e princesa de Esterhazy da Áustria. 

Durante a sua juventude ele teve a oportunidade de visitar monastérios na Europa com um tio, Cardeal da Igreja que era inspetor geral da ordem de São Francisco de Assis. Ele era frequentemente convidado a ir ao Vaticano em companhia de outro tio seu, que era um embaixador do Papa. Por essa rara experiência Brother Premamoy absorveu uma rara qualidade de nobreza e cultura, assim como uma profunda compreensão  da comunidade espiritual.

Na idade de 15 anos ele respondeu ao chamado dos Alpes e se dedicou ao alpinismo. Com o tempo ele se tornou um dos mais famosos alpinistas solos dos Alpes Julian; foram creditadas a ele mais de 60 escaladas. O mais significativo foi que ele desenvolveu uma alta disciplina e um despertar espiritual nesses longos períodos de isolamento nas montanhas.

Sua formação universitária culminou em um doutorado em Direito Internacional; nessa época ele já falava 11 línguas fluentemente. A rainha da Iugoslávia pagou por seu treinamento diplomático. Nesse período ele também estudou música – um talento que mais tarde serviu para trazer profunda inspiração aos ouvintes de seu órgão nas músicas dos Cantos Cósmicos de Paramahansa Yogananda.

Depois de seu país ter sido invadido na Segunda Guerra Mundial, Brother Premamoy esteve ativo na resistência. Um dos seus amigos foi preso por razões políticas. Como esse homem tinha esposa e um filho e Brother Premamoy não tinha, Brother foi ao general inimigo e se ofereceu como voluntário para ficar no lugar do seu amigo. O general ficou impressionado, sabendo que era do conhecimento do Brother que 10 prisioneiros seriam sumariamente executados quando um oficial alemão fosse morto. Finalmente o general falou: “É muito difícil lutar um guerra com pessoas como você”, e deixou os dois irem livremente.

Mais tarde na guerra, Brother Premamoy foi capturado e confinado em três diferentes campos de concentração, incluindo o famoso Ravensburck. Ele fez questão de servir seus companheiros de prisão de qualquer maneira que lhe fosse possível – contando piadas ou dividindo um pedaço de pão com aqueles que estavam sofrendo mais do que ele. Em 1984 ele confidenciou a uns monges da SRF que muitos presos acharam a experiência nos campos de concentração tão infernal que continuavam tendo pesadelos quarenta anos depois; contudo ele tinha lembranças de uma experiência de amor e irmandade.

Depois da guerra sua pátria foi tomada pelos comunistas. Por causa de sua associação com a realeza e por outras influências, sua prisão foi decretada. Com poucas horas de antecedência ele foi avisado e escapou de bicicleta pela fronteira da Itália, e nunca mais voltou à sua terra natal.

Os investimentos financeiros que sua família havia feito em outros países deram a ele suporte para sobreviver até ser aceito como coordenador na estação de radiodifusão da Europa, na cidade de Trieste na Itália. Depois foi convidado pelo departamento de imigração americana a emigrar para os EUA. Assim sendo, ele foi de navio em 1950, partindo da Itália para os EUA e levando consigo um presente de um velho amigo – um exemplar da Autobiografia de um Iogue.

Ele se estabeleceu em Nova Iorque e foi convidado a trabalhar de assistente do Secretário Geral das Nações Unidas, Dag Hammarskjold. Mas outro destino o estava chamando. No verão de 1952 ele foi para Los Angeles visitar o Mother Center da SRF, onde teve uma inesperada recepção de boas-vindas. Assim que ele entrou no terreno antes de se apresentar a qualquer um, Rajarsi Janakananda, um grande discípulo de Paramahansa Yogananda e seu primeiro sucessor como presidente da Sociedade, veio recebê-lo com um radiante sorriso e uma silenciosa bênção e o abraçou como se dizendo: “Bem-vindo a casa”.

Brother Premamoy entrou para a SRF como monge em 1954. Ele serviu em muitas funções – como tradutor, no departamento de correspondências, supervisão dos jardins, no setor de filmes e audiovisual e servindo como ministro. Durante a visita histórica de Shankarachaya de Puri aos EUA (que foi patrocinada pela SRF), Brother Premamoy foi designado a viajar junto e prover as necessidades pessoais dele. Em março de 1965 ele fez os votos definitivos de renúncia e lhe foi dado o nome monástico de Premamoy – palavra sânscrita que significa “permeado com o amor divino”. 

Desde o início de 1960 até alguns dias antes de sua partida deste mundo, Brother Premamoy foi um ministro ativo na SRF servindo nos templos de Like Shrine, Phoenix, Hollywood, San Diego e Encinitas. Mas foi em 1965 que ele começou um trabalho pelo qual sempre será lembrado, como o de participante na elaboração do programa  de treinamento espiritual para os postulantes a monge da Ordem da SRF.

Próximo de sua partida deste mundo, Paramahansaji falou a seus discípulos mais próximos: “Se vocês trabalharem juntos em harmonia e gentileza, meu trabalho vai alcançar o mundo todo”. Diante da diversidade de monges que entraram para a ordem da SRF nos últimos 25 anos, Brother Premamoy foi um exemplo notável de espírito de harmonia, cooperação e lealdade – uma contribuição monumental para o progresso da Sociedade de Paramahansa Yogananda nestes últimos anos.

Um serviço em memória do Brother Premamoy foi realizado em Forest Lawn Memorial Park, em Glendale, no dia 13 de outubro de 1990. O serviço foi conduzido por Brother Mitrananda, que foi assistente dele no programa dos postulantes e que a partir desta data assumiu a responsabilidade que era do Brother Premamoy. 

Um grupo de pessoas ouviu os carinhosos elogios dedicados à sua alma, incluindo a seguinte mensagem enviada por Daya Mata:

“Vamos sempre nos lembrar de Brother Premamoy como um amado discípulo de nosso Guru e como um exemplo de seus ideais. Ele conquistou nossos corações com sua gentiliza e atenção e pela devoção que tinha a Deus e ao Guru.”

Tendo renunciado a tudo o que o mundo pode conceder, ele achou uma alegria superior vivendo para Deus somente. Ele expressava uma inata nobreza e refinamento que vinha das profundezas de sua alma. Esse jeito respeitoso para com todos que o conheceram foi capaz de tocar seus corações e mentes com o amor por Deus.

Sempre dando o melhor de si, ele extraiu o melhor nos outros também. O que muito admiramos nele foi a qualidade de seu caráter. Sua amável natureza o marcou como um Pai espiritual para os monges em sua primeira etapa no caminho da renúncia. Por 26 anos ele conduziu muitos aspirantes como um pai de discernimento e como uma mãe em gentileza e compaixão, expressando um raro equilíbrio que era a qualidade de nosso Guru.

Nada nos inspira tanto em ver as sementes dos ideais espirituais crescerem como árvores majestosas na vida de santos. Nós herdamos um legado precioso que ele deixou de amor a Deus e de ter levado muitas pessoas próximo a Ele.

Em eterno amor e gratidão, enviamos ao Brother Premamoy a amizade de nossas almas.

No final há uma nota do monge Alcuino de Iorque, professor e poeta do ano 735 nascido na Inglaterra, que diz:

“Esse é o dever da alma: que o Amor é o maior, que é Deus em si; que rege o que é inferior, ou seja, o corpo; e pelo seu amor ele assiste e provê suas criaturas. Que as almas purificadas e libertadas por essa devoção possam voar desta vida problemática e miserável de volta para a eterna paz, entrando na alegria de Deus.”

(Tradução não oficial pelo Círculo de Florianópolis)